quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Depois de um convívio ameno no fim de semana passado, contamos agora os dias para mais uma aventura. Sinto-te entusiasmada. Cada vez mais liberta, solta, das amarras que trazemos. Tens desejo de aventura e de descoberta a dois. Temos conhecido pessoas diferentes, tão diferentes como nós. Pessoas que desejam dividir-se também, partilhar as coisas intimas que somos nos gemidos que ganimos. Pessoas que se procuram, que se insinuam, se desejam. Começa a desaparecer o medo inicial do desconhecido e a instalar-se um conforto de quem conhece o caminho. Vamos suaves, calculados, muito firmes de nós...vamos...avaliamos depois, anda...
Numa noite que tinha imaginado na tua cabeça ser hoje tens combinado saírem. Só tu e ela e por dois instantes perdes fio ao mundo real, às coisas que te aborrecem por escassez de magia plena ou sedutora banalidade. Aceitas um duche fresco, vestes o teu melhor pano e pousas na cama tempo suficiente para poderes calçar um dos sapatos que reservas para dias de festa. E é aí que o teu mundo pára, se detém. Suspende a gravidade que o alimenta e te deixa sem reacção aparente. Ao fundo ela, o vestido negro, o cabelo liso, longo. Dobra-se, percorre o fecho da bota, o vestido que abre e revela a liga. Tu nada. Olhos. Criança em dia de circo. Uma outra mulher que, sem que percebas como, entrou no teu quarto, vinda de um banho quente e, te tomou de assalto o peito. Coração a galope. Sentes uma rajada de vida e coisas que te inundam as veias e te dizem em segredo que a amarás para sempre. Trata-te pelo nome como se te conhecesse de uma vida inteira e tu nada. Só olhos e silêncio. Tão sedutoramente feminina que te perguntas porque haveria de Deus premiar-te com tanto. O que fizeste tu afinal? Onde tens andado? Atravessa a distância que vos separa e num beijo longo pede que nunca a deixes. Mãos que se apertam. Carne igual. Una. Tu nada ainda. Se te deixo? Quem és tu? De onde vens? Onde tens estado? Vens comigo? Perguntas e respostas que te enchem de coisas e letras numa cabeça que não quer destino nem perdão. Já, agora. Vamos? Dás um beijo apertado aos miúdos e sais com ela pela mão. És imortal. Tens quinze anos quando o elevador te oferece à rua. Ao teu lado, uma mulher como ela, e o mundo é afinal inofensivo. Enches o peito de orgulho e entras na festa, vindo da guerra. Tu sangue, vinho, Sparta, tónus definido, suor e fúria. És o Alfa. Orgia romana. Esta noite és tu e ela. Não fazes ideia de onde veio esta mulher que Deus te deu mas queres que volte. Que fique ao teu lado uma vida. Tu ficarás…até que a vida e Ele te permitam. Ela tira o vestido e dança contigo. Entregues. Gotas de Gin que te desenham o corpo e que ela te lambe na pele. Cria aninhada em ti. Amo-te. Diz-te ao ouvido antes q a língua te arrepie e te percorra as costas num golpe de sedução. Amo-te. Diz-me o teu nome…sedutor mistério…

Take 0

Passada a fase de testes e experiências, inovações, avanços e recuos somos finalmente a anunciar o inicio oficial do elesjuntos.blogspot.pt. Aqui vamos nós...

Depois de ver e ler a experiência vivida entre os casal sexyrabbits e os cerejas, ficámos entusiasmados e passámos a noite com caricias entre conversas sobre como eventualmente seria connosco. Com a ajuda do casal sexyrabbits percebemos melhor este mundo e as possíveis variações do swing, a partir do qual desmantelámos muitas ideias pré-concebidas.

Ela começou a aquecer e a pedir para que Ele lhe relatasse um encontro imaginário com um outro casal. Até onde iríamos, o que gostaríamos? De acordo com o que tínhamos ficado a saber existe afinal o soft-swing; uma versão em que os casais se envolvem de forma aproximada e menos directa, ainda assim, muito excitante. No calor de toda esta imaginação Ela confessou que tem curiosidade e que gostaria de fazer sexo num espaço onde outros casais também. Olhar de soslaio para a troca de carícias entre outros, ouvi-los gemer e a excitação de todo esse ambiente trouxe a ideia de que passado o nervoso inicial tudo deve ser muito divertido e estimulante. Só com a conversa e imaginação, Ele e Ela começaram a aquecer. Ela humedece só de se imaginar com o frio na barriga de outra mulher lhe tocar e beijar e de quanto isso a excitaria. Ele, só de pensar na imagens delas juntas na troca de carícias começa a ficar duro e penetra-a. As palavras dos SexyRabbits e a imaginação a trabalhar deixaram que os corpos fizessem o resto. Houve calor e loucura suficientes para o orgasmo repetido vezes e vezes...

Foi muito divertido poder imaginar as fantasias descritas pelos SexyRabbits e os Cereja. Para quem começa neste mundo tudo isto tem uma mistura de alucinação, provocação e loucura. Pelo meio, o tesão enorme de ser mosca e ver como se sobrevive a um primeiro destes momentos. Deve ser a adrenalina pura entre desejo e receios. A química perfeita, o afrodisíaco derradeiro...